Conteúdo Principal
Publicado em: 14/09/2021 - 19h23 Atualizado em: 14/09/2021 - 19h25 Tags: Dia Mundial da Segurança do Paciente

TJPB ilumina prédios em homenagem ao Dia Mundial da Segurança do Paciente

Os prédios do Palácio da Justiça, Fórum Cível, Fórum Criminal e Fórum de Campina Grande estarão iluminados com a cor laranja, de hoje ao dia 17, por determinação do Presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, Desembargador Saulo Henriques de Sá e Benevides. A iniciativa simboliza a mobilização pelo Dia Mundial da Segurança do Paciente. 

O Presidente atendeu a uma solicitação da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa), que informou que essa mobilização acontece em nível nacional, com a participação de todos os Estados e Distrito Federal, incentivada pela Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (SOBRASP) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo o diretor-geral da Agevisa, Geraldo Moreira de Menezes, a data comemorativa acontece no dia 17 de setembro, definida na 72ª Assembleia Mundial da Saúde, realizada em maio de 2019, pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para este ano de 2021, o tema escolhido pela OMS foi: "Cuidado materno e neonatal seguro". A decisão ocorreu em virtude dos dados apresentados pela organização que revelam que, aproximadamente, 810 mulheres morrem todos os dias de causas evitáveis relacionadas à gravidez e ao parto. 

“Ainda de acordo com a OMS, cinco complicações diretamente relacionadas são responsáveis por mais de 70% das mortes maternas: hemorragias, infecções, abortos inseguros, eclâmpsia e parto obstruído. Além disso, cerca de 6.700 recém-nascidos morrem todos os dias, o

que representa 47% de todas as mortes de menores de 5 anos e cerca de 2 milhões de bebês nascem mortos todos os anos, com mais de 40% ocorrendo durante o trabalho de parto”, afirmou o diretor. 

Dessa forma, o slogan da campanha deste ano ficou definido como: "Aja agora para um parto seguro e respeitoso". A OMS recorre a todas as partes interessadas para que promovam a segurança do paciente em larga escala, para alcançar a cobertura universal de saúde. 

Por Gabriella Guedes