Conteúdo Principal
Publicado em: 12/01/2009 - 12h00 Tags: Geral, Legado

Presidente eleito do TJ-PB participa da primeira reunião de 2009 da Comissão Interpoderes que discutiu contenção de gastos ante a crise mundial

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /?>




por Evandro da Nóbrega,


coordenador de Comunicação


Social do Judiciário paraibano


 


 


O presidente eleito do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Luiz Sílvio Ramalho Júnior — que assumirá o cargo no próximo dia 2 de fevereiro — compareceu no final da tarde desta segunda-feira, 12 de janeiro, ao primeiro encontro promovido em 2009 pelos integrantes da Comissão Interpoderes do Estado.

Esta reunião ocorreu, como sempre acontece, no Palácio da Redenção. Também deveria comparecer o desembargador Genésio Gomes Pereira Filho, vice-presidente do TJ-PB no exercício de sua Presidência, em virtude da licença do desembargador-presidente efetivo, Antônio de Pádua Lima Montenegro. O desembargador Genésio, porém, não pôde estar presente, em virtude de compromissos anteriormente assumidos.

Os demais membros da Comissão Interpoderes do Estado são o governador do Estado, Cásiso Cunha Lima; deputado Arthur Cunha Lima, presidente da Assembléia Legislativa; o conselheiro Nominando Diniz, presidente do Tribunal de Contas do Estado; e a Dra. Janete Ismael da Costa Macedo, procuradora-geral de Justiça. Entre outras autoridades, esteve ainda presente o vice-governador José Lacerda Neto.


 


REFLEXOS DA CRISE MUNDIAL


Como explica o jornalista Lenilson Guedes — que cobriu o encontro para a Coordenadoria de Comunicação Social do Judiciário paraibano —, os representantes dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), além dos representantes do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado discutiram a necessidade de contenção das despesas, pelos órgãos públicos, ante a crise econômico-financeira que, sem dúvida, também atingirá o Brasil.


 


Durante o encontro, por exemplo, o governador Cássio Cunha Lima anunciou que, por necessária precaução, decidiu aplicar um contingenciamento do Orçamento de 2009 no âmbito do Poder Executivo, nos próximos três meses.


 


AUSTERA POSTURA DE CONTENÇÃO


Na prática, apenas os recursos para pagamento da folha de pessoal ficarão isentos de um rigoroso controle de fluxo. Ele pediu apoio para que os dirigentes dos outros Poderes também possam assumir uma postura austera na contenção de gastos, no mesmo período.


 


O foco da reunião foi, portanto, a crise financeira mundial. O chefe do Executivo estadual observou ainda que as projeções de crescimento econômico do país, em 2009, são cada vez mais modestas.


 


ATÉ OS OTIMISTAS SE PREOCUPAM


Além do mais, destacou o Governador não ser possível saber-se, ainda, até que ponto essa retração vai se aprofundar. E pontuou sua análise com a apresentação de um fato: "Até mesmo o otimista presidente Luís Inácio Lula da Silva deu sinais de preocupação, pela primeira vez nesta mesma segunda-feira, diante do quadro econômico adverso”.


 


— Desta maneira — disse o Governador, aos demais integrantes da Comissão Interpoderes —, não podemos fazer de conta que o problema também não nos afeta.

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611