Conteúdo Principal
Publicado em: 15/05/2008 - 12h00 Tags: Geral, Legado

Aposição de placa de bronze marca final de comemorações por 100 anos da 'Revista do Foro'


por Evandro da Nóbrega,

coordenador de Comunicação Social do Judiciário paraibano

As atividades desenvolvidas pela Comissão do Centenário da Revista do Foro — que se desenvolveram durante todo o ano de 2007, a partir de inícios de março, quando foi instituída pelo desembargador-presidente do TJ-PB, Antônio de Pádua Lima Montenegro — somente foram oficialmente concluídas nesta quinta-feira, 15 de maio. E isto se deu, de maneira formal, com a aposição da Placa de Bronze comemorativa da passagem dos 100 anos da publicação, uma das mais antigas em circulação no País.
 
Localizando-se na parede à direita de quem entra no hall do andar térreo do Palácio da Justiça, bem defronte a outra placa de bronze, aquela que assinala a passagem do centenário de instalação do próprio Tribunal de Justiça da Paraíba, esta outra placa foi confeccionada em São Paulo, SP, tendo sido agora descerrada pelo presidente do Tribunal e pelos integrantes da Comissão do Centenário.
 
TETRANETO DO PRESIDENTE
Uma presença honrosa, embora inesperada, que abrilhantou a cerimônia de aposição da Placa de Bronze comemorativa dos 100 anos da Revista do Foro, foi a do jovem desembargador mineiro Rogério Medeiros Garcia de Lima, do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, que fez questão de comparecer ao ato — por ser tetraneto do desembargador Amaro Gomes Carneiro Beltrão, que, em 1907, quando da criação da Revista, presidia a mais alta Corte de Justiça da Paraíba.
 
Logo depois da aposição da placa de bronze, o desembargador Rogério Medeiros (com família originária de Santa Luzia, PB) também participou, no Salão Nobre “Ministro Osvaldo Trigueiro de Albuquerque Melo”, do lançamento do livro Brasão d’armas do Judiciário da Paraíba: Sua descrição heráldica e simbologia histórica, de autoria de Evandro da Nóbrega.
 
CEM ANOS DA REVISTA
Para a solenidade de aposição da placa de bronze comemorativa da passagem do Centenário da Revista do Foro, compareceram todos os integrantes da Comissão respectiva:
 
* seu presidente, o desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos (um dos dois oradores da tarde, sendo o outro o próprio desembargador-presidente Antônio de Pádua);
 
* o desembargador Leôncio Teixeira Câmara; o desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque;
 
* a desembargadora Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti;
 
* o secretário da Presidência do TJ-PB, Dr. Márcio Roberto Soares Ferreira; e
 
* o coordenador de Comunicação Social do Judiciário paraibano, escritor, jornalista e editor Evandro da Nóbrega.
 
ALGUMAS PRESENÇAS
Outras presenças assinaladas foram as do vice-presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Genésio Gomes Pereira Filho; das presidente e vice-presidente da AEMP (Associação das Esposas de Magistrados e das Magistradas da Paraíba), respectivamente as Sras. Maria do Socorro Brasileiro Lima Montenegro e Rozane Gomes; dos juízes-auxiliares da Presidência do TJ-PB, Drs. Marcos Aurélio Jatobá Filho e Rodrigo Marques de Lima; o representante do Governo da Paraíba, Dr. Otávio Gomes de Araújo, Defensor Público Geral do Estado; os desembargadores Manoel Soares Monteiro, Antônio Carlos Coelho da Franca, José Di Lorenzo Serpa, Joás de Brito Pereira Filho e Arnóbio Alves Teodósio; os desembargadores aposentados Miguel Levino de Oliveira Ramos, Raphael Carneiro Arnaud e José Martinho Lisboa; o conselheiro Luiz Nunes Alves, do Tribunal de Contas do Estado; o Reitor José Loureiro Lopes, do UNIPÊ (Centro Universitário de João Pessoa); acadêmico Juarez Farias, presidente da Academia Paraibana de Letras; o acadêmico, médico e historiador Guilherme Gomes da Silveira d’Ávila Lins, também da APL; o presidente do IHGP (Instituto Histórico e Geográfico Paraibano), historiador Luiz Hugo Guimarães; o Dr. Antônio Carlos Escorel, professor do curso de Direito do UNIPÊ; o editor Pontes da Silva, das Edições Linha d’Água; o representante da UEPB (Universidade Estadual da Paraíba), professor e procurador adjunto José Araújo Lucena; o chefe das Publicações Oficiais do TJ-PB, designer Martinho Sampaio; o tenente Rafael Lopes Lemos, representante do 15º. Batalhão de Infantaria Motorizado; e o designer Milton Nóbrega, com sua filha Patrícia.
 
O TOQUE FINAL
O Centenário da Revista do Foro (1907-2007) assinalou-se pela realização de grande número de solenidades e outras atividades, sempre desenvolvidas pela Comissão Especial nomeada pelo desembargador-presidente Antônio de Pádua Lima Montenegro em inícios de março de 2007.
 
Tais atividades ocorreram durante todo o ano passado, mas faltava um último toque para que seu trabalho se completasse: a aposição da placa de bronze mandada confeccionar em São Paulo, SP.
 
EDIÇÃO ESPECIAL & HISTÓRICA
Entre outros dizeres, tal placa contém a composição do Tribunal Pleno quando da passagem dos 100 anos de criação da Revista do Foro, assim como também a composição da referida Comissão e uma frase do desembargador-presidente Antônio de Pádua alusiva à antiga publicação que divulga os acórdãos da lavra dos desembargadores paraibanos.
 
Uma das maiores realizações da Presidência do TJ-PB, por intermédio dessa Comissão do Centenário, foi a publicação de dois alentados volumes, sob o título de Edição Especial e Histórica comemorativa do transcurso dos 100 anos da Revista do Foro. Tais volumes (sendo a segunda edição um apanhado mais volumoso e corrigido da primeira edição) contêm inclusive um acórdão de cada um dos desembargadores que, desde 1891, integraram ou integram o Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, que nasceu como Superior Tribunal de Justiça do Estado do Parahyba do Norte.
 
MAIOR REALIZAÇÃO
Talvez por causa da publicação destes dois alentados volumes é que o desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos, presidente da Comissão, tenha considerado as comemorações em torno dos 100 anos da Revista “a maior realização de Vossa Excelência, Senhor Desembargador Antônio de Pádua, durante toda a sua profícua gestão”.
 
Mesmo porque, acrescentou o desembargador Abraham Lincoln, o meio jurídico paraibano e brasileiro tem em alta conta o valor expresso pela Revista do Foro, uma das mais vetustas publicações brasileiras — e não apenas na área jurídica.
 
— Um momento realmente histórico como este, o do transcurso do Centenário de nossa Revista — sublinhou o desembargador Abraham Lincoln — não poderia passar sem aposição desta placa de bronze, que revelará aos pósteros o carinho que temos com tão valiosa publicação.
 
HISTÓRIA DA REVISTA DO FORO
O presidente da Comissão do Centenário — cujos trabalhos nem por isto se encerram totalmente, porque ainda está faltando uma derradeira etapa das comemorações: a publicação da História da Revista do Foro, que ocorrerá ainda no corrente ano de 2008 — lembrou ainda que, modernamente, a publicação tem suas versões em CDs e CD-ROM, além de conteúdo num espaço próprio no Portal Institucional do TJ-PB [www.tjpb.jus.br].
 
Em seu breve discurso, o desembargador Abraham Lincoln voltou a elogiar a atuação do desembargador-presidente Antônio de Pádua durante todas as comemorações relativas ao Centenário da Revista do Foro, afirmando: “Vossa Excelência está de parabéns por guiar tão bem todas as comemorações e demais atividades sugeridas pela Comissão do Centenário, para assinalar de maneira indelével a passagem desses 100 anos. Foi este, sem dúvida, o maior feito de toda a sua profícua gestão como chefe do Poder Judiciário de nossa terra”.
 
O desembargador Abraham Lincoln agradeceu ainda aos demais membros da Comissão do Centenário da Revista, que se faziam presentes, em torno da placa de bronze.
 
“UM BELÍSSIMO TRABALHO”
O desembargador-presidente Antônio de Pádua Lima Montenegro, em seu discurso encerrando a cerimônia de aposição da placa de bronze, fez questão de recordar para os presentes que “a Comissão do Centenário da Revista do Foro, por mim instituída, fez um belíssimo trabalho, inclusive em termos editoriais, inclusive publicando livros valiosos e desenvolvendo meios de preservar a memória paraibana, a memória do Judiciário de nosso Estado”.
 
— Contando com todo o merecido apoio da Mesa Diretora da gestão 2007-2009, os seis integrantes da Comissão do Centenário — disse o desembargador Pádua — trabalharam na contramão dos que consideram o brasileiro um povo sem memória. Aqui, temos trabalhando muito, também, para preservar a memória do Judiciário de nossa terra.
 
POR AMOR À JUSTIÇA
De acordo com o relato da jornalista Gabriella Guedes — que cobriu a solenidade para a Coordenadoria de Comunicação do Judiciário paraibano — o desembargador-presidente Antônio de Pádua prosseguiu em sua oração afirmando que “o trabalho de preservação histórica elaborado pela Comissão do Centenário da Revista do Foro constituiu uma demonstração de amor ao Judiciário, de reconhecimento não apenas aos magistrados, mas a todos aqueles que lutam em prol da Justiça. Foi o trabalho de quem tem não só um amor afetivo, mas também um amor efetivo pela Magistratura”.
 
— Foi ainda o trabalho de quem não usa apenas palavras para exercer a Lei e a Justiça, mas que igualmente demonstra, com suas atitudes, no dia-a-dia, as qualidades da compostura, da seriedade, da dignidade, da imparcialidade que são o apanágio de nossa Magistratura. Portanto, a paz é mesmo fruto da Justiça — concluiu o desembargador-presidente.

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611