Conteúdo Principal
Publicado em: 02/09/2019 - 12h54 Atualizado em: 02/09/2019 - 18h39 Comarca: João Pessoa Tags: Enfam, Curso de Formação de Formadores

Enfam encerra Curso de Formação de Formadores em João Pessoa para 61 magistrados

Com a finalidade de discutir temas relacionados ao processo de aprendizagem, na busca pelo desenvolvimento de competências, como planejamento de aula e as estratégias de ensino, 61 magistrados da Região Nordeste e quatro ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) participaram, até sábado (31) em João Pessoa, do Curso de Formação de Formadores – Nordeste – Módulo 1, promovido pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam). 

A Capacitação foi promovida com o apoio da Escola Superior da Magistratura (Esma) da Paraíba, do Tribunal de Justiça da Paraíba e da Escola de Magistratura Federal da 5ª Região (Esmafe5).

No encerramento das atividades, o ministro do STJ e diretor-geral da instituição, Antônio Herman Benjamin, fez questão de parabenizar os alunos/juízes no comprometimento durante os três dias da formação e os pedagogos na condução dos trabalhos. Um dos pontos destacados pelo diretor foi a presença, pela primeira vez, de ministros do STJ e de desembargadores estadual e federal, em pé de igualdade, assistindo, com os juízes de 1º Grau, o curso de Formação de Formadores como aluno, e não como magistrado de uma instância superior. “Todos estavam irmanados no espírito de que é o saber que vai, realmente, ampliar a legitimidade e o reconhecimento do Poder Judiciário pela população brasileira”, disse o ministro Herman.

Ele ressaltou, ainda, a qualidade dos juízes dos estados participantes (Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte) no conhecimento teórico e prático. “Na magistratura brasileira não há, hoje, desníveis de qualidade entre os vários estados, no sentido da sua capacidade intelectual e judicial”, afirmou.

Por fim, o ministro assegurou que a formação não visou aprofundar temas como Direito Penal, Civil e Constitucional, e sim, habilitar os juízes que possuem uma vocação expressa para a docência, ensinando métodos ativos mais modernos. “Fomos todos formados no modelo de aula expositiva, e, aqui, descobrirmos esse admirável mundo novo dos chamados métodos ativos”, comentou.

Também presente a capacitação como aluno, o diretor da Escola Superior da Magistratura (Esma), desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, fez uma avaliação positiva da formação. “O curso foi bastante dinâmico e trouxe um aprendizado novo, principalmente na área pedagógica de ensino da magistratura”, disse o desembargador.

Avaliação dos participantes- A juíza do 1º Juizado Auxiliar Cível da 2ª Circunscrição, Andreia Silva Matos, também ressaltou a qualidade do curso. “Quebrou paradigmas no que se refere às metodologias de aplicação da docência e, também, trouxe a certeza de que fazer uma formação continuada é o melhor caminho a ser trilhado pelo magistrado”, afirmou.

Para o juiz diretor do Fórum de Patos, Ramonilson Alves Gomes, o curso modificou, profundamente, as noções que o magistrado tem da pedagogia educacional para adultos, com a aplicação de novas ferramentas e fugindo da cultura clássica de ensino. “A formação modificou a postura de quem almeja contribuir em sala de aula, atuando como formador em cursos da Enfam ou de escolas da magistratura, como sua própria atuação na magistratura”, falou Ramonilson.

Dentre as considerações finais, o professor Erisevelton Silva ressaltou que a Enfam está colocando a educação à frente dos seus processos e projetando o futuro com muito êxito. A professora Rita Silvana Santana disse que considera fundamental a participação dos magistrados e o cuidado dos mesmos em pensar nos processos pedagógicos na formação de outros juízes. “Quando esses profissionais participam desses cursos, significa que eles estão se dispondo a pensar melhores formas de aprender e transformar o espaço de trabalho”, disse.

Para o ministro do STJ Rogério Schietti, a capacitação ofereceu oportunidade aos juízes de todas as instâncias do país de se atualizarem. “Este curso disponibilizou, com profissionais qualificados e experientes, a chance de apreendermos novas técnicas de aprendizagem, que nos permitirá dividirmos esse conhecimento com outros juízes nos cursos de formação e aperfeiçoamento que a Enfam promove”, comentou.

Este também foi o prensamento da juíza da 8ª Vara Mista da Comarca de Campina Grande, Lua Yamaoka Mariz Maia Pitanga. “É importante o magistrado participar desse tipo de atividade, pois deve estar sempre se atualizando”, observou.    

Para o coordenador da Escola de Magistratura Federal da 5ª Região, Luiz Albuquerque, a presença de ministros do STJ e de magistrados de quatro estados do Nordeste mostra o interesse pelo partilhamento dos conhecimentos, principalmente, de caráter prático. “Os alunos deixaram a toga fora do curso e entraram como pessoas que desejavam   aprender, compartilhar suas experiências e construir um conhecimento novo coletivo”, frisou.

Durante os três dias de atividades, os alunos assistiram aulas sobre temas como Desenvolvimento da formação dos magistrados; Docência no contexto da magistratura e Especificidades do ensino e da aprendizagem; as diretrizes pedagógicas da Enfam e o processo de ensino orientado para o desenvolvimento de competências; e o Planejamento da Aula – organização do trabalho pedagógico’.

De acordo com o calendário da Enfam, o segundo módulo da formação contínua, agora, na modalidade a distância (EaD), será de 10 de outubro a 11 de novembro. Já o terceiro módulo, em Brasília – DF, na modalidade presencial, ocorrerá nos dias 3 e 4 de dezembro.

Os ministros do STJ que participaram do curso foram Geraldo Og Nicéas Marques Fernandes, Marcelo Navarro Ribeiro Dantas e Rogério Schietti Machado Cruz, além de Herman Benjamim. 

Por Marcus Vinícius/Ascom-TJPB
 

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611