Conteúdo Principal
Publicado em: 27/08/2021 - 14h58 Atualizado em: 31/08/2021 - 18h31 Tags: Psicologia, Gevid, saúde

Gevid homenageia equipe no Dia do Psicólogo e ressalta importância durante a pandemia

Há 59 anos, a profissão de Psicologia foi regularizada no Brasil, no dia 27 de agosto, data em que, atualmente, é comemorado o Dia do Psicólogo. O Tribunal de Justiça da Paraíba homenageia os profissionais da área, que atuam tanto na linha de frente para auxiliar na saúde mental dos servidores e magistrados quanto os que fazem parte das equipes multidisciplinares e contribuem para que juízes tomem decisões importantes para muitas famílias.

A homenagem do TJPB ocorre por meio da Gerência de Qualidade de Vida (Gevid), da Diretoria de Gestão de Pessoas, e o Setor de Psicologia, que saúdam todos os profissionais e estudantes de Psicologia. Em especial os colegas que atuam no Poder Judiciário da Paraíba e, também, todos aqueles que estão no combate à pandemia da Covid-19.

O psicólogo tem a função de estudar os fenômenos da mente e do comportamento do homem com o objetivo de orientar os indivíduos a enfrentar suas dificuldades emocionais e ajudá-los a encontrar o equilíbrio entre a razão e a emoção. Desde 2020, com o isolamento social em virtude da pandemia pelo Coronavírus, a procura pelo profissional aumentou substancialmente, inclusive pelo atendimento psicológico on-line, serviço que continua sendo disponibilizado aos magistrados e servidores do TJPB. O objetivo é proporcionar o acolhimento psicológico priorizando a saúde mental, o bem-estar emocional e a qualidade de vida no trabalho.

Para o juiz Adhailton Lacet Porto, titular da 1a Vara da Infância e da Juventude da Capital, o profissional da Psicologia tem um papel importantíssimo e fundamental dentro do sistema de Justiça, tendo, sobretudo, na referida área. “O psicólogo integra a equipe interprofissional, que é responsável por todos os estudos psicossociais dos casos que envolvem crianças e adolescentes. Hoje, em uma unidade judiciária de Infância e Juventude, o juiz não poderia julgar uma ação sem a participação efetiva do profissional da Psicologia. Portanto essa data é muito importante e merece todo o nosso respeito e o nosso aplauso”, ressaltou o magistrado.

A psicóloga Andréa Diniz, analista judiciária, destacou que o atendimento online proporcionou suporte psicológico aos magistrados e servidores que atuam em comarcas localizadas no interior do estado, inclusive. “No momento, é possível afirmar que há demanda sendo assistida oriunda de todas as regiões e a equipe, com profissionalismo, dedicação e comprometimento, vem procurando auxiliar todos que procuram apoio emocional”, afirmou.

Ainda de acordo com a profissional, a procura tem sido intensa. Houve um índice muito elevado de busca pelo suporte psicológico, diante das inúmeras restrições do contexto pandêmico e das demais questões individuais e existenciais de cada pessoa. “É importante ressaltar que, nesse mesmo período, houve um aumento significativo no volume de trabalho nas duas instâncias. Contamos com o apoio e sensibilidade de nossa gerente, Valéria Beltrão, e com a recente ampliação do quadro de psicólogos, providenciada pela gestão do Desembargador Saulo Benevides”, pontuou Andréa Diniz.

Atualmente, o Setor de Psicologia da Gevid é composto por três analistas judiciários psicólogos, Andréa Diniz, Fábio Machado Costa e Valdirene Teodósio, sendo essa última a que desempenha suas atividades na Justiça Itinerante, além de uma psicóloga coordenadora de Saúde Mental, Penha Pontes. Dentre os procedimentos online, são realizadas consultas, orientações, atendimentos e acompanhamentos psicológicos. De forma presencial, há o apoio às perícias da Junta Médica.

Para Andréa Diniz, de forma geral, é possível afirmar que há uma necessidade de Políticas Públicas efetivas e Campanhas de Conscientização voltadas à Saúde Mental. “O período pandêmico deixou isso mais evidente. Estamos à disposição e lançamos o convite para que todos se permitam observar e refletir sobre a sua saúde mental. É preciso estar atento, também, às pessoas que estão por perto. Caso seja necessário um suporte emocional, procurem ajuda especializada de um psicólogo e/ou psiquiatra para auxiliar nesse contexto”, observou a psicóloga.

Em tempos delicados tão marcados pela dificuldade de se estabelecer ou manter relações saudáveis, ouvir e escutar são aspectos essenciais, uma vez que o momento é de ausência de empatia, intolerância e fuga de realidade. “O desafio é nos tornarmos mais conscientes e responsáveis pelos nossos atos, nos colocando no lugar do outro e refletindo um pouco antes de falar, expor ou escrever”, ponderou Valdirene Pereira Alves Teodósio, analista judiciária psicóloga integrante da Gevid.

Diante da necessidade, o TJPB, através da Digep e também da Gevid, disponibilizou telefones institucionais para atender às demandas oriundas dos magistrados, servidores e colaborares. Através do contato telefônico ou por e-mail, geralmente por chamadas de vídeos, essas demandas são atendidas conforme disponibilidade de turnos, horários e agenda dos profissionais.

Os interessados podem buscar o serviço pelos contatos de Penha Pontes (98829 2464 - maria.pontes@tjpb.jus.br), Andréa Diniz (99144 1145 - andrea.diniz@tjpb.jus.br) e Valdirene Teodósio (98190 8196 - valdirene.teodosio@tjpb.jus.br).

Por Gabriella Guedes

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611