Conteúdo Principal
Publicado em: 09/05/2022 - 12h56 Atualizado em: 10/05/2022 - 10h10 Tags: Infância, Acolhimento

Audiências concentradas dessa segunda-feira conseguem reintegrar dez crianças a famílias

audiências concentradas
Audiências concentradas voltadas às crianças e adolescentes

Nesta quarta-feira (11), será concluído o primeiro ciclo de audiências concentradas presenciais voltadas às crianças e adolescentes em situação de acolhimento, na Comarca de João Pessoa. O trabalho é desenvolvido pela 1ª Vara da Infância e Juventude da Capital, por meio do Núcleo de Apoio da Equipe Multidisciplinar (Napem) da 1ª Circunscrição do Tribunal de Justiça da Paraíba. As audiências concentradas acontecem trimestralmente e nesta segunda-feira (9), foram atendidos os usuários da Unidade De Acolhimento Lar Da Criança Jesus De Nazaré, localizada em Jaguaribe.

De acordo com a chefe do Napem da 1ª Circunscrição do TJPB, Fernanda Sattva, na Unidade Jesus de Nazaré, foram promovidas nove reintegrações à família, uma guarda com fins de adoção e dez permanecem em acolhimento, sendo que três foram encaminhados para adoção, iniciando o processo de aproximação entres as partes envolvidas.

“Seguimos hoje no quinto dia de audiências, que são muito importantes, para que os direitos das crianças e adolescentes sejam garantidos. Ainda teremos mais dois dias de audiências, amanhã e depois (terça e quarta-feira)”, adiantou Fernanda Sattva. Ela explicou que as audiências contam com a presença da rede de proteção dos direitos das crianças e adolescentes. “Hoje, por exemplo, conseguimos realizar a reintegração de dez crianças, enquanto as que permanecem acolhidas seguem tendo seus casos analisados por toda a rede, visando a melhor resolução”, destacou. Sattva disse, ainda, que as estatísticas finais das audiências concentradas serão divulgadas nesta quarta-feira.

O juiz titular da 1ª Vara da Infância e Juventude da Capital, Adhailton Lacet Correia Porto, que preside as audiências, lembrou que durante as sessões, todos os planos individuais de atendimento de cada acolhido são avaliados. “Quando possível, também ouvimos seus parentes, pais ou responsáveis, bem como equipes técnicas e outros integrantes do sistema de garantia de direitos”, comentou Lacet.

Só nessa primeira etapa, já foram realizadas audiências na Morada do Betinho; Casa Lar Manaíra; Serviço de Família Acolhedora; Casa Shalon e no Lar da Criança Jesus de Nazaré. Restam ser atendidas as crianças e adolescentes da Fundação São Padre Pio Pietrelcina e Casa Diagnóstica.

Por Fernando Patriota

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611