Conteúdo Principal

Gerências

Diretor – Ângelo Giuseppe Guido – ditec@tjpb.jus.br / ditec.assessoria@tjpb.jus.br

Competências

Subseção I Da Assessoria Técnica Art. 23. À Assessoria Técnica incumbe:

  1. assessorar o diretor e os gerentes na elaboração do planejamento gerencial, na definição dos objetivos, metas e diretrizes e na implementação dos planos de ação, alinhados ao direcionamento institucional, bem como a elaboração da proposta orçamentária anual relativa aos programas, projetos e ações no âmbito da sua Diretoria;
  2. elaborar o plano de metas anual da diretoria, em conjunto com as gerências que a compõem;
  3. orientar os gerentes na elaboração do planejamento operacional e na execução dos respectivos planos de ação;
  4. propor normas e procedimentos para a elaboração e acompanhamento de planos anuais, concernentes às unidades integrantes da diretoria;
  5. sugerir medidas e práticas administrativas que objetivem o desenvolvimento da diretoria, bem como difundir instrumentos e técnicas gerenciais que visem à maximização qualitativa e quantitativa dos resultados da unidade;
  6. acompanhar os projetos em execução na diretoria, zelando pela fiel observância das diretrizes empregadas;
  7. proceder ao acompanhamento da execução dos contratos firmados pelo Tribunal de Justiça com as empresas prestadoras de serviços na área de informática;
  8. sistematizar os relatórios periódicos elaborados pelas gerências da Diretoria;
  9. adotar as medidas que visem a otimização dos recursos gerenciados pela Diretoria, com vistas à redução de custos;
  10. promover o atendimento de demandas por soluções tecnológicas oriundas das unidades;
  11. exercer outras atribuições vinculadas às suas funções, determinadas pelo diretor de tecnologia da informação.

Subseção II Da Gerência de Sistemas Art. 24. À Gerência de Sistemas incumbe:

  1. planejar, desenvolver, homologar, manter e administrar ferramentas, linguagens de desenvolvimento, sistemas e aplicativos, e manter a respectiva documentação;
  2. efetuar a manutenção do sítio na intranet e na internet;
  3. exercer outras atribuições vinculadas às suas funções, determinadas pelo diretor de tecnologia da informação.

Subseção III Da Gerência de Suporte Art. 25. À Gerência de Suporte incumbe:

  1. planejar, homologar, instalar, manter e administrar o funcionamento de rede física e lógica, inclusive servidores de serviços e de dados;
  2. planejar, desenvolver, homologar, manter e administrar bancos de dados corporativos e setoriais;
  3. disponibilizar e controlar o acesso de usuários internos e externos a sistemas, aplicativos, bases de dados e demais serviços inerentes à tecnologia de informação;
  4. efetuar a manutenção preventiva e a corretiva do parque computacional, bem como acompanhar a manutenção realizada por terceiro;
  5. estabelecer e implantar padrões de segurança, confiabilidade e disponibilidade para equipamentos, sistemas e serviços de tecnologia da informação;
  6. exercer outras atribuições vinculadas às suas funções, determinadas pelo diretor de tecnologia da informação.

Subseção IV Da Gerência de Atendimento Art. 26. À Gerência de Atendimento incumbe:

  1. receber sugestões, reclamações ou solicitações de suporte de tecnologia da informação;
  2. controlar, acompanhar e requisitar da unidade responsável informações sobre averiguações e providências tomadas no que se refere a demandas registradas;
  3. informar sobre os resultados das demandas encaminhadas;
  4. exercer outras atribuições vinculadas às suas funções, determinadas pelo diretor de tecnologia da informação.

Subseção V Da Gerência de Desenvolvimento de Tecnologia da Informação Art. 27. À Gerência de Desenvolvimento de Tecnologia da Informação incumbe:

  1. propor as políticas, as diretrizes, as normas e os procedimentos que disciplinem a utilização de recursos de tecnologia de informação;
  2. identificar as necessidades de tecnologia da informação junto aos usuários;
  3. realizar estudos de viabilidade, análise e projetos, bem como acompanhar a sua implementação e manutenção;
  4. prospectar novas tecnologias de desenvolvimento de sistemas processuais para o Poder Judiciário do Estado, e definir seus artefatos, produtos e requisitos mínimos;
  5. exercer outras atribuições vinculadas às suas funções, determinadas pelo diretor de tecnologia da informação.

(LEI Nº 9.316, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010)