Conteúdo Principal
Publicado em: 10/12/2019 - 12h04 Comarca: Campina Grande Tags: Júri, Campina

Empresário acusado de mandar matar os padrinhos de casamento em CG é condenado a 68 anos de prisão

Durante julgamento realizado nessa segunda-feira (9) no 2º Tribunal do Júri de Campina Grande, o réu Nelsivan Marques de Carvalho foi condenado a uma pena de 68 anos de reclusão, a ser cumprida em regime fechado, no Presídio Serrotão, pelos crimes de homicídio qualificado consumado e tentado. O caso envolve o assassinato de Washington Luiz Alves de Menezes e Lúcia Santana Pereira e da tentativa de homicídio de Lindon Jonhson da Silva, fato ocorrido em março de 2014. A sentença foi prolatada pelo juiz Horácio Ferreira de Melo Júnior, nos autos da ação nº 0033439-87.2014.815.0011.

No julgamento, o Conselho de Sentença absolveu a ré Maria Gorete Alves dos Santos, por entender que ela não teve nenhum envolvimento nos crimes. “Se o júri reconhece ter o réu participado ativamente dos delitos contra si imputado, resta tão somente ao juiz togado aplicar a sanção penal correspondente, em cumprimento à deliberação soberana do Conselho de Sentença”, destacou o juiz Horácio Melo.

A defesa de Nelsivan alegou, na ocasião do julgamento, a tese de negativa de autoria, sob o argumento de que não procede a ordem para eliminar as vítimas. Mas, para o Conselho de Sentença, restou provado que os motivos do crime seriam porque ele queria assumir sozinho a empresa de educação que comandava junto com Washington Luiz Alves de Menezes e Lúcia Santana Pereira. O casal era padrinho de casamento do réu e foram mortos no dia em que houve a celebração do matrimônio.

Da decisão cabe recurso.

Por Lenilson Guedes/Gecom-TJPB

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611