Conteúdo Principal
Publicado em: 25/03/2021 - 13h26 Atualizado em: 25/03/2021 - 20h15 Comarca: Alagoa Grande Tags: Nupemec, Cejusc de Alagoa Grande

TJPB instala Cejusc de Alagoa Grande e mantém política de expansão da conciliação pelo interior

TJPB instala Cejusc de Alagoa Grande e mantém política de expansão da conciliação pelo interior / Fotos prints Ednaldo Araújo

Na manhã desta quinta-feira (25), em solenidade virtual, foi inaugurado mais um Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) do Poder Judiciário estadual, na Comarca de Alagoa Grande. Com essa iniciativa, o Tribunal de Justiça da Paraíba mantém a expansão a ampliação da política de conciliação e de métodos autocompositivos, pelo interior do Estado, que leva aos cidadãos outras formas de acesso à Justiça;

Juíza Ana Amélia

A diretora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), o qual os Cejuscs fazem parte, desembargadora Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti, justificou sua ausência e foi representada na solenidade, transmitida pelo aplicativo Zoom, pelos diretores adjuntos do Nupemec, juízes Antônio Carneiro, Ana Amélia Andrade e Pedro Davi Alves.

Contudo, a desembargadora enviou uma mensagem, que foi lida pela juíza Ana Amélia. Disse a diretora do Nupemec: “Registro o meu orgulho com respeito aos juízes e auxiliares do judiciário e colaboradores outros, do Estado da Paraíba, que dedicam seu tempo para trazer à sociedade uma nova feição da Justiça: a cultura da paz. Conciliando os conflitos, estaremos contribuindo para a instalação de uma Justiça mais célere e satisfatória. Muito obrigada a todos”.

Juiz José Jackson Guimaraes

Segundo o juiz titular da Vara Única e diretor do Fórum de Alagoa Grande, José Jackson Guimaraes, o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania será responsável por resolver várias ações repetitivas. “Recebemos muitos processos envolvendo instituições bancárias. São feitos que podem ter suas soluções por meio da conciliação e das formas oficiais de autocomposição. Só tenho a agradecer ao Tribuna de Justiça e ao Nupemec por esta data tão importante para os jurisdicionados de Alagoa Grande”, comentou o magistrado.

A juíza Ana Amélia lembrou que Alagoa Grande é a terra de Jackson do Pandeiro e fez uma analogia do Centro com o Rei do Ritmo. “Que o juiz, os conciliadores e todos avancem na conciliação dentro do compasso e da agilidade do grande Jackson do Pandeiro”, disse.

Juiz Antônio Carneiro

Por sua vez, o juiz Antônio Carneiro reforçou o empenho da Direção do Nupemec em estabelecer uma nova modalidade de Justiça. “É preciso que a sociedade entenda que estamos vivenciando uma nova forma de apreciar e julgar os processos. Uma forma mais simples, rápida e efetiva nas conclusões dos problemas”, avaliou.

Já o magistrado Pedro Davi acrescentou dizendo que acredita no perfil conciliador e humano do juiz Jackson Guimarães. “Quero externar minha alegria em poder participar de tão importante solenidade, sobretudo, para os cidadãos de Alagoa Grande e dizer da certeza do bom trabalho que será desenvolvido naquela Comarca”, avaliou.

Também participaram da instalação do Cejus o representante da Ordem dos Advogados do Brasil da Paraíba – Secção Brejo (OAB-PB), advogado José Alberto, e todos os servidores da Comarca de Alagoa Grande.

Por Fernando Patriota/Gecom-TJPB