Conteúdo Principal
Publicado em: 15/04/2020 - 20h03 Atualizado em: 16/04/2020 - 19h54 Comarca: Araruna

Trabalho em equipe garantiu Selo Diamante à 1ª Vara de Araruna

Arquivar mais processos do que o número de feitos distribuídos ao mês. Esta vem sendo a meta de trabalho aplicada na 1ª Vara Mista de Araruna, conduzida pela magistrada Clara de Faria Queiroz, que permitiu à unidade alcançar percentuais de produtividade positivos durante o ano de 2019 e, com isso, conquistar o Selo Diamante de eficiência. A premiação foi concedida pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, com base nos critérios estabelecidos pela Resolução nº 05/2020, que instituiu esta forma de reconhecimento e incentivo às varas mais produtivas do Estado.

Juíza Clara de Faria Queiroz

A magistrada explicou que o controle é feito mensalmente e que, a cada dia 20, faz, junto ao chefe de cartório, o monitoramento do gráfico relativo para saber o que deve ser melhorado no mês subsequente. “O trabalho é, de fato, feito em equipe. Sozinho, não há juiz que chegue a lugar algum. Mantemos uma interação muito boa entre o gabinete e cartório, de modo que o trabalho é visto globalmente”, ressaltou.
 
Clara contou que, desde o início, o método foi abraçado e a cada mês, a equipe buscava se superar. A iniciativa rendeu resultados importantes: A Vara reduziu a taxa de congestionamento processual em 10%, aumentando a celeridade. Para tanto, uma espécie de mini mutirões foram realizados, conforme elucidou a juíza. “Identificamos feitos que podiam ser arquivados, que estavam paralisados, que precisavam ser movimentados, ou seja, estabelecemos um acompanhamento mais próximo do fluxo processual para sabermos onde precisávamos imprimir agilidade”, pontou.
 
Outro fator importante destacado foi o fato de a unidade ter sido uma das primeiras varas do Estado a digitalizar todo o acervo cível. “Isso contribuiu muito com a fluidez processual. Fizemos o mesmo em relação ao SEEU (Sistema Eletrônico de Execução Unificado). Todas as guias foram, de imediato, implantadas e a rapidez processual veio em consequência”, acrescentou a magistrada.
 
Em relação à premiação, a juíza Clara afirmou que, além de ser um importante reconhecimento feito pelo Tribunal acerca do trabalho em equipe, é, também, motivador. “O Selo nos mostra que estamos no caminho certo. Nos engrandece, não em vaidade, mas, em gratidão para que busquemos, sempre, uma melhoria na prestação jurisdicional. Contar com o reconhecimento da população local e dos advogados que estão conosco diariamente nos mostra como é bom dar o nosso melhor; como é bom trabalhar com amor”, enfatizou.

Para o chefe de cartório da unidade, Levi Rosal, o resultado foi conquistado de uma forma bem natural, em razão da consciência de cada um quanto às próprias responsabilidades. Para tanto, ressaltou que a liderança da magistrada foi muito importante. “Ela atua de forma prática e objetiva, sempre buscando enxergar as situações também sob a ótica do servidor, facilitando a tomada de decisões. Fazemos o possível para deixar o ambiente de trabalho leve e descontraído”, pontuou.

Levi disse, ainda, que a gratificação por produtividade sempre foi almejada pelos servidores, o que é um impulsionador. “Espero que a cada ano os critérios sejam aperfeiçoados para que a Justiça também seja visível nesse âmbito”, finalizou.

A equipe é composta, ainda, pelos servidores Mauro Macêdo, Viviany Rodrigues, Cilene Patrício, João Maciano e Cristianna Barbosa (assessora). Em 2019, contou, também, com a atuação do servidor Rodrigo de Almeida, que, este ano, não está mais na unidade.

Por Gabriela Parente / Gecom - TJPB

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611