Conteúdo Principal
Publicado em: 21/10/2021 - 17h42 Atualizado em: 22/10/2021 - 11h21 Comarca: Campina Grande Tags: Conciliação, CEJUSC, Campina

Cejusc Fazendário de Campina firma acordo de mais de 200 mil reais e encerra processo com mais de dez anos

Arte com mãos unidas simbolizando a conciliação

Por meio de uma Sessão de Conciliação virtual, o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) Fazendário da Comarca de Campina Grande conseguiu solucionar um processo que já tramitava há mais de dez anos na Justiça e firmar um acordo no valor de R$ 235.500,00 (duzentos e trinta e cinco mil e quinhentos reais). A audiência por videoconferência, que durou mais de duas horas, aconteceu nessa quarta-feira (20), envolvendo Ação de Indenização por Ato Ilícito causado por Acidente de Trânsito (0010521-31.2010.8.15.0011), que resultou na morte de um homem, do Município de São José do Bonfim.

A coordenadora do Cejusc Fazendário, juíza Ivna Mozart ressaltou que os entes estatais estão entre os maiores litigantes com processos ativos no Judiciário estadual e que a criação de estratégias para a solução consensual das demandas envolvendo essas partes colabora para a celeridade processual. “Não se pode perder de vista que os processos que têm a Fazenda pública como parte são naturalmente mais longos, em face dos prazos que são maiores. O Cejusc fazendário de Campina Grande é um exemplo bem sucedido de ambiente próprio à realização de acordos”, destacou a magistrada.

Já a conciliadora do Cejusc Fazendário de Campina, desde 2018, Maria Isabel Figueirêdo, explicou que conseguiu durante a audiência aplicar as técnicas de Conciliação, como a Escuta Ativa, que visa observar a linguagem verbal e não verbal de ambas as partes, na busca de entender as informações e assim estimular suas emoções para que possam ouvir uma à outra. “Após algumas horas em debate particular, todos retornaram à sala remota de audiência, apresentando a contraproposta, chegando assim a um denominador comum para ambas as partes. Um dia proveitoso para Conciliação e para o Judiciário estadual”, realçou a conciliadora.

Por sua vez, a coordenadora dos conciliadores, Vanessa Bezerra salientou que a conciliação tenta compreender informações relevantes. “E foi isso que aconteceu no Cejusc Fazendário. A conciliadora Maria Isabel, usando das técnicas de conciliação, observou que os autores em uma linguagem não verbal queriam resolver o conflito naquele momento, precisando apenas de um pouco mais de tempo e diálogo. Felizmente conseguimos o fim desse conflito”, comemorou a coordenadora.

Por Lila Santos

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611