Conteúdo Principal
Publicado em: 04/03/2022 - 12h21 Tags: Coordenadoria da Mulher, curso, Paz em Casa

Justiça pela Paz em Casa começa com curso para implantação de grupos de reflexão em Cabedelo

Capacitação sobre violência contra a mulher
Capacitação sobre violência contra a mulher em Cabedelo

A 1a Vara Mista da Comarca de Cabedelo, com apoio da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça da Paraíba, realizou um Curso de Formação no Município, para psicólogos, assistentes sociais e pedagogas das Secretarias de Assistência Social e da Mulher, nessa quinta-feira (3). O evento trata do início dos trabalhos da Semana da Justiça pela Paz em Casa, que também ocorrerá na Comarca ao longo da próxima semana (7 a 11). O objetivo foi qualificar os profissionais para atuarem em grupos de reflexões, um para vítima e outro para agressores. A facilitadora da capacitação foi Clarissa Paranhos Guedes, psicóloga da Vara de Violência Doméstica em Campina Grande.

A finalidade é a implantação do Grupo Repensar, espaço para receber e promover a reflexão dos homens que respondem processos judiciais por praticarem violência doméstica. E, para alcançar os dois atores da situação de violência doméstica, também será implantado o Grupo Dignificando Marias, voltado para mulheres vítimas ou não de violência, com o intuito de conscientizá-las a respeito da Lei Maria da Penha e disponibilizar qualificações profissionais para que elas possam conquistar a independência econômica dos seus companheiros. “Buscamos dar essa aplicabilidade, a finalidade social da Lei Maria da Penha, para o enfrentamento dessa violência doméstica”, pontuou o juiz Antônio Gonçalves Ribeiro Junior, titular da 1ª Vara Mista da Comarca de Cabedelo.

Segundo o magistrado, a partir do momento que os profissionais das Secretarias estejam qualificados, os agressores e vítimas serão encaminhados aos respectivos grupos.

O Grupo Repensar ficará a cargo da Secretaria de Assistência Social, com coordenação conjunta do magistrado Antônio Gonçalves Júnior, enquanto o Dignificando Maria ficará sob a responsabilidade da Secretaria da Mulher, e coordenação da juíza Graziela Queiroga, auxiliar da 1a Vara Mista, unidade de competência privativa de julgamentos de ações criminais.

Além do juiz Antônio Gonçalves Júnior, representante das unidades da região agreste, são coordenadoras da Mulher do TJPB, as juízas Anna Carla Falcão da Cunha Lima Alves (litoral) e Caroline Silvestrine de Campos Rocha (sertão).

Por Gabriella Guedes

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611