Conteúdo Principal
Publicado em: 22/10/2021 - 13h44 Atualizado em: 26/10/2021 - 10h49 Comarca: Esperança, São José de Piranhas Tags: Comissão de Segurança, Segurança, Treinamento, Acesso

Servidores das comarcas de São José de Piranhas e Esperança recebem reciclagem sobre ‘Acesso Seguro’

A Coordenação do Projeto Acesso Seguro, do Tribunal de Justiça da Paraíba, realizou mais duas reciclagens de treinamento virtual, voltadas às equipes de segurança e servidores dos fóruns das comarcas de São José de Piranhas e Esperança. O curso foi ministrado pelo coordenador do Projeto, Jardel Rufino, e pelo coronel Josélio César de Oliveira, da Gerência de Segurança Institucional do TJPB. O Acesso Seguro integra o Planejamento Estratégico do TJPB, com base na Resolução nº 291/2019 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que instituiu o Sistema Nacional de Segurança do Poder Judiciário.

“O Acesso Seguro” estabelece normas de segurança para ingresso e permanência de pessoas nas dependências dos prédios do Poder Judiciário estadual, seguindo procedimentos de identificação, inspeção de segurança, submissão ao aparelho detector de metais e utilização de crachás de identificação para usuários”, explicou a gestora do Projeto, juíza auxiliar da Vice-presidência do TJPB, Micheline Jatobá.

Para o juiz auxiliar da Presidência do TJPB e coordenador adjunto da Comissão de Segurança do Poder Judiciário estadual, Rodrigo Marques, “o Judiciário seguro é sinônimo de Judiciário independente e imparcial, livre de coações e ameaças em prol da total liberdade de decisão, beneficiando, por conseguinte, o jurisdicionado, com a qualificação constante do serviço público prestado”. A Comissão de Segurança é presidida pelo desembargador Joás de Brito Pereira Filho.

O treinamento de reciclagem consiste na apresentação do Projeto; funcionalidade do mobiliário (recepção, cabine blindada, armário e caixa de areia); demonstração por slide do ingresso de um visitante nos fóruns; forma correta para desmuniciamento de armas; informações gerais sobre a Resolução 11/2017 (normas para o acesso de usuário armado) e condução adequada na detecção de mandado de prisão pelo software de controle de acesso “Visit” .

A capacitação também trata sobre procedimentos de abordagem, normas de segurança, relação interpessoal e posicionamento e postura do agente de segurança. “Seguimos orientações da Presidência do Tribunal, Comissão de Segurança e Gestão do Projeto, para reforçar a qualidade do trabalho desempenhado pelos agentes e servidores. O aperfeiçoamento contínuo propicia melhoria substancial da segurança no ambiente de trabalho e na prestação do serviço ao jurisdicionado”, comentou Jardel Rufino.

Por Fernando Patriota

GECOM - Gerência de Comunicação
  • Email: comunicacao@tjpb.jus.br
  • Telefone: (83) 3216-1611